sábado, 29 de outubro de 2011

Prof. Mauro Bechman: HALLOWEEN E A NOITE DAS VISAGENS

Publico aqui o texto do Professor Mauro Bechman sobre o Halloween e os mitos amazônicos.

HALLOWEEN E A NOITE DAS VISAGENS

Foto: O Gato Preto. Autor: Geóg. M. Bechman, 2011.

Dia 31 de outubro existe uma tradição celta de que todos os mortos ressurgem e passam a fazer uma grande festa no mundo dos vivos. Não fosse apenas uma tradição galesa que passou a fazer parte da cultura anglo-saxônica, tornou-se em dias atuais um ícone a mais na indústria da cultura e que vem chegando ao Brasil lentamente como manifestação de uma aculturação global. Também não fosse, estarmos assentados num país exatamente geográfico, onde as tradições emanam da sociabilidade das pessoas com suas crenças, religiosidadade e imaginação e das suas raízes culturais ficandas nas lendas ocidentais e nos mitos presentes no imaginário popular tão ricamente construídos pelos antepassados e tão ferozmente combatido e repelido como formas atrasadas de "tempos pretéritos" ou tido como coisa do passado e de um país ainda não urbano, ainda atrelado ás crendices populares.


Foto: O Gato Preto da Vila Dona Marciana. Autor: Geóg. M. Bechman, 2011

Em verdade, fico efetivamente preocupado com esta "importação de mitos e eventos" e, ainda mais, pelo estímulo dado em escolas píublicas e privadas - uma vez que o Brasil em sua extensão geográfica magnífica abriga culturas que efetivamente vão sendo legadas a segundo plano na agenda cultural da sociedade brasileira. É de fato, admirável que a Amazônia com seu rico acervo de lendas, mitos, estórias e enredos possa sucumbir a uma ação promovida pela expansão de uma "cultura global" e, consequente descaracterização cultural do país.

É muito dificil encontrar um manauara que não tenha um estória para contar sobre visagens, pois em outros momentos, em que ainda os "antigos" podiam colocar suas cadeiras de embalo nas calçadas das ruas em Manaus e nas suas varandas, esta rica cultura oral assumia o papel pedagógico de educar as futuras gerações para os "medos" e o "inexplicável" presentes na vida humana. Da disciplina para se recolher ou dormir ao gerar uma crença de que haveria um "caminho de comunicação entre os mundos dos mortos e dos vivos", as estórias de visagens e os mitos foram contribuindo para a formação da cultura e da memória popular.  

Foto: Noite na estrada do Novo Aleixo. Autor: Geóg. M. Bechman, 2011.

Objetivamente, nossas elites econômicas e intelectuais, esqueceram-se do Saci, da Iara, da Mula-sem-cabeça, do Negrinho do pastoreio, da Cobra-grande, do Curupira, do Matinta-perera e das Visagens tão populares entre os amazonenses e amazônicos. Neste dia, parece que o Halloween industrializado, abriu as portas do salão de festas e deixou de fora os fantásticos produtos da cultura brasileira, os seus mitos e suas visagens, mas que estarão sempre presentes na memória e na oralidade da cultura popular, celebrando na "Noite Escura, num grande Dabacuri, a Noite das Visagens".

Longa vida aos Mitos e á Cultura Popular Brasileira e Amazônica!!!!
 
Conheça o blog do Professor Mauro Bechman
 
____________________
Comentario:
 
Infelizmente a tradicional cultura amazônica está sendo substituída por culturas globalizadas, hoje festejamos o "réloin" sem saber do que se trata...

Enquanto isso o curupira assiste a tudo boquiaberto, o boitatá está apagado, e o boto vermelho que tantas encantou no passado depois de conhecer o Jacques Custeau virou "rosa"....

3 vivas para o Curupira, 3 vivas para o Caipora e lutemos pelo renascimento do Boto Vermelho o encantador de donzelas ribeirinhas!

Prof. Elias Santos Junior que quando criança dormia cedo com medo da curviana
Manaus - Amazônia - Brasil

2 comentários:

MAURO BECHMAN disse...

Obrigado professor, pelo prestígio destinado á nossas tradições! Saudações de um dos Filhos de Poronominaré!

Aureni Ribeiro disse...

Obrigado Elias por compartilhar esse maravilhoso texto do prof. Mauro Bechman. Apesar da minha pouca idade ainda tive e tenho o prazer de escutar essas maravilhosas lendas da nossa Amazônia. Cultura essa que é riquissima e está sendo cada vez mais esquecida e substituida por outra importada. Um salve a todos os seres mitológicos que habitam a imaginação dos Amazônidas! Quanto ao gatinho do
texto coloco no colo. Bjos!

WORKSHOP DE DESENVOLVIMENTO PESSOAL EM MANAUS - Prof. Elias Santos Junior

Em tempos de crise como a que estamos vivenciando nos últimos anos fica extremamente evidente que é necessário se reinventar, adquirir...