Seja bem vindo

Ola, esse blog reune algumas de minhas ideias, pensamentos e devaneios, porem apresenta tambem um resumo daquilo que leio e acho interessante na área do Coaching, Motivação e estilo de vida, da Geologia, Geografia, Biologia, Petróleo & Gás e Meio Ambiente.

Gostaria de saber sua opinião sobre as postagens, portanto ficaria feliz em receber seus comentarios.
Entre e fique a vontade!!


terça-feira, 23 de agosto de 2011

NOTICIA MINERAÇÃO: Potássio do Brasil anuncia nova descoberta na Amazônia

A Potássio do Brasil anunciou os resultados do Furo PB-AT-11-09, que encontrou 1.82 metros de silvinita (minério de potássio) a uma profundidade de 843.08 metros, com teor de 39,94% KCl. Há cerca de um ano a empresa informou que o furo PB-AT-10-02 encontrou silvinita com 1,86 metros de espessura, a uma profundidade de 841.78 metros, apresentando um teor médio de 32,59% Kcl. Segundo a companhia, esses resultados confirmam que a Bacia Amazônica pode conter jazidas de potássio de classe mundial.

O Furo PB-AT-11-09 está localizado a aproximadamente 1,8 km a sudoeste do Furo PB-AT-10-02. Ambos as aberturas ficam no município de Autazes (AM), a 10 km a norte da jazida de Potássio de Fazendinha.

Em nota à imprensa, a Potássio do Brasil detalha que a interseção do Furo PB-AT-11-09 inclui um intervalo mais rico, com 1.59 metros de espessura e teor médio de 44,52% KCl. Imediatamente abaixo do intervalo mineralizado em potássio ocorrem halita e anidrita intercaladas, com aproximadamente 47 metros de espessura total. O furo foi concluído a uma profundidade de 892.45 metros.

De acordo com a empresa, há agora dois furos mineralizados com teores de potássio substancialmente maiores do que aqueles obtidos nos 16 furos de sondagem históricos da Petrobras que delinearam recursos minerais superiores a 500 milhões de toneladas de minério de potássio na Jazida de Fazendinha. Além disso, as interseções de potássio nos furos executados pela Potássio do Brasil, PB-AT-02 e PB-AT-11-09, estão 260 metros mais próximos da superfície do que a profundidade média do depósito de Fazendinha (1,100 metros de profundidade).

A Potássio do Brasil informou ainda que continuará a sondagem até que os recursos minerais de potássio sejam quantificados e possibilitem o avanço dos estudos técnicos e econômicos para definir a viabilidade do projeto. A empresa estima que, com um investimento total da ordem de US$ 3,5 bilhões a US$ 4 bilhões, seria possível produzir anualmente 4 Milhões de toneladas de cloreto de potássio.

Por fim, a companhia confirmou a intenção já anunciada de captar os recursos para os investimentos futuros, tanto junto aos seus acionistas, como por meio de abertura de capital até o fim de 2012.
Extraído de http://www.geofisicabrasil.com Agência Estado - 22/08/2011.
__________________________
Excelente noticia, o potencial é gigantesco segundo as noticias veiculadas pela Secretaria de Geodiversidade do Amazonas, vamos aguardar novos resultados das prospecções.
Saudações Geológicas
Professor Elias Santos Junior - Manaus - Amazonia - Brasil

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

DOWNLOAD - CAPITULO 2 DO LIVRO GEOLOGIA GERAL - LEINZ E AMARAL



Sempre indico a leitura deste livro para os estudantes de Geologia e Petróleo & Gás, vejo muita gente adotando o Decifrando a Terra como livro porem prefiro o Livro Geologia Geral do Leinz & Amaral. Como nao tenho ele inteiro para download disponibilizo aqui apenas o capitulo 2 que discute Minerais e Rochas.



Saudações Geológicas

Professor Elias Santos Junior
Manaus - Amazonas - Brasil






sexta-feira, 12 de agosto de 2011

DOWNLOAD: BOLETIM GEOCIÊNCIAS DA PETROBRÁS ESTÁ DISPONÍVEL ON LINE

Ola senhores, vejam que excelente noticia foi postada no blog da Geologia da Unisinos


A coleção completa do Boletim de Geociências da Petrobras está disponível em formato eletrônico em todas suas edições desde o volume 1, nº. 1, publicado em 1987.


O link está disponível para acesso pela internet no endereço http://vdpf.petrobras.com.br/vdpf/index.jsp


Para os que querem informações sobre as bacias sedimentares brasileiras sugiro baixar os seguintes volumes:


Edição volume 15, n° 2 Novembro 2007
Edição volume 8, n° 1 Março 1994 

Boa leitura e saudações geológicas!


Professor Elias Santos Junior
Manaus - Amazonas - Brasil

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

NOTICIA PETROLEO:

Petrolíferas russas pelo mundo

As gigantes da indústria do petróleo da Rússia deram início à nova etapa da sua expansão global. A empresa Lukoil vai dedicar-se à exploração da plataforma continental da República de Serra Leoa, na África, e o consórcio russo-britânico TNK-BP está a concluir a compra de quotas de uma empresa brasileira que prospecta petróleo no norte do Brasil.



Os analistas entendem que as vantagens obtidas por estas empresas são evidentes, pois elas penetram nos mercados petrolíferos do mundo que acusam os índices mais elevados de desenvolvimento. Por exemplo, no trecho do Rio Amazonas – que estará sob os cuidados da TNK-BP – existem mais de 20 jazidas, e o total já prospectado das suas reservas aproxima-se dos 780 milhões de barris de petróleo, podendo atingir marcas ainda maiores.

O primeiro dos projectos sulamericanos do consórcio russo– britânico foi iniciado na Venezuela.

Actualmente neste país são exploradas três jazidas, uma das quais pertencia anteriormente à BP. O volume do petróleo extraído diariamente é 25 milhões de barris. O facto de que a companhia irá trabalhar também no Brasil, vai diversificar seus negócios e reforçar as posições da BP no mercado petrolífero.

Além de projectos sul-americanos, a companhia TNK-BP procura agora penetrar na Argélia e trabalha intensamente no Vietname. Este último projecto é especialmente interessante, pois proporciona à empresa a experiência necessária de perfuração de poços de grande profundidade. Mais tarde, esta experiência poderá resultar útil quando da exploração de jazidas da Península de Yamal, na Sibéria.

Por sua vez, a Lukoil está muito focada nas reservas de petróleo da África. Além da compra de uma jazida em Serra Leoa, a empresa tem contratos de exploração no Gana e na Costa do Marfim, e pretende chegar em breve ao Gabão, sem contar com outros países africanos nos quais também está interessada.

A Lukoil marca presença, igualmente, na Comunidade de Estados Independentes, actuando no Cazaquistão e no Uzbequistão, e analisa ainda outras possibilidades na Ásia Central.

Para os analistas, a estratégia das empresas Lukoil e TNK-BP está correcta, pois além da expansão, elas procuram a diversificação de mercados.
 
(Diário da Rússia) Extraído de http://www.opais.net
11 de Agosto de 2011

terça-feira, 9 de agosto de 2011

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

POS-GRADUAÇÃO: GESTÃO AMBIENTAL E DESENVOLVIMENTO SUSTENTAVEL


Fui convidado para participar desse projeto, gostei muito da proposta curricular e da infra-estrutura da Faculdade onde será realizado.

Recomendo o curso e desde já desejo sucesso aos organizadores.

Saudações Geológicas
Professor Elias Santos Junior
Manaus - Amazonas - Brasil