domingo, 20 de fevereiro de 2011

NOTICIA AMBIENTE: Extração de areia está destruindo praia de comunidade no interior do Amazonas

Atividade, que havia sido autorizada pelo Ipaam, foi suspensa. Processo de licenciamento está rodeado de mal-entendidos

Manaus, 18 de Fevereiro de 2011

Elaíze Farias - Jornal A Critica on line

A comunidade Açutuba, no município de Iranduba (a 27,07 quilômetros de Manaus), já perdeu grandes extensões de praia desde que a extração de areia foi retomada na área, no início deste ano.

Até a semana passada, uma grande carga foi retirada da praia da comunidade, deixando “crateras” na área.
O processo de licenciamento ambiental e minerário da atividade, contudo, está rodeado de informações desencontradas.

Preocupados com a grande quantidade de embarcações e dragas identificados em janeiro passado, moradores denunciaram o caso ao Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), mas foram surpreendidos com a informação de que a empresa Mosaico Engenharia e Comércio Ltda teria autorização para extrair 745 mil e 500 metros cúbicos de areia de uma área de 4,97 hectares.

A empresa Mosaico, detentora dos licenciamentos, afirma que não foi ela a responsável pela extração de areia denunciada pelos moradores de Açutuba.

A Mosaico é a empresa responsável pela execução da obra de urbanização e revitalização do Complexo da Ponta Negra. A areia extraída teria como destino justamente esta obra.

Já a assessoria de imprensa do Ipaam informou que a Mosaico possuía, de fato, os licenciamentos desde o dia 20 de janeiro, mas que eles foram suspensos no último dia 8.

O Ipaam, segundo a assessoria,  “reanalisou o caso e recomendou à empresa outra alternativa de exploração de areia, onde não ocorra grandes impactos ambientais e comunitários e tenha justificativa locacional e econômica”.

Segundo o Ipaam, vistoria feita na área da extração identificou a presença de equipamentos da Mosaico a 150 metros da divisa de Iranduba, nas proximidades da praia de Açutuba, a cinco quilômetros do Parque Nacional de Anavilhanas.

Devido aos impactos na praia, a licença foi suspensa.

Negativa
Procurado pela reportagem do acritica.com, o proprietário da Mosaico, Jorge Sotto, negou que sua empresa estava efetuando a extração na praia.

Sotto afirmou que “abortou” a atividade e que pediu um novo licenciamento, já autorizado pelo Ipaam, desta vez no município de Iranduba.

A assessoria do Ipaam disse que a nova licença, expedida no último dia 11, refere-se a uma área no centro do rio Solimões, longe da margem, para não causar impactos nas comunidades.

Confusão
A confusão em torno dos licenciamentos ambiental e minerário – este expedido pelo Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) – também envolve a área onde deveria ocorrer a lavra.

No licenciamento anterior a Mosaico é autorizada a fazer a extração no leito do rio Negro, em Manaus.

No entanto, a comunidade Açutuba faz parte da jurisdição de Iranduba. Sem falar no fato de que a extração estava ocorrendo em plena praia, e não no leito.

Um morador de Açutuba, que pediu para não ter seu nome identificado, explicou que “o roubo de areia” acontece há muito tempo na comunidade.

“Na semana passada, o Policiamento Ambiental apareceu lá, após denúncias, mas quando estava fazendo a apreensão, o Ipaam disse que tudo era legal e ainda autorizou que a carga de areia, que era grande, fosse levada”, afirmou o morador.
Segundo ele, as embarcações seguiram para o Parque de Anavilhanas, para continuar a retirada de areia.

A assessoria de imprensa do Ipaam informou que a suspensão do licenciamento no rio Negro também se aplica ao entorno de Anavilhas e que, se a empresa está realizando a extração, isto ocorre ilegalmente.

 Extração de areia realizada por empresa autorizada pelo IPAAM causou sérios danos ambientais em praia de Iranduba (Divulgação)

 _________________________

O Instituto de Protecao Ambiental do Amazonas parece marido traido, sempre fica sabendo por ultimo o que esta acontecendo!

Desde o processo de licitacao para o fornecimento de areia as coisas nao estavam claras, o que nao me deixa surpreso pois isso sempre acontece no estado do Amazonas.

O que me surpreende é o fato de o IPAAM toda vez que é questionado responde que licenciou mas está revisando ou suspendeu o licenciamento!

A proposito se o licenciamento era em Manaus a Semmas deveria ter se pronunciado tambem....

Saudacoes Geologicas

Professor Elias Santos Junior - Geologo

Manaus - Amazonas - Brasil


2 comentários:

geocrusoe disse...

Só um alerta: a queda de ponte Entre-os-Rios no rio Douro, à cerca de uma década, em Portugal que causou mais de meia centena de mortos, parece ter sido acelerada ou mesmo provocada pela extracção de areias fluviais a montante que retiraram o suporte de um dos pilares da infraestrutura que ruiu. Se há pontes a jusante... cuidado!

Professor Elias Santos Junior disse...

Ola caro amigo sempre eh bom ter voce comentando os posts nos blog.

Excelente alerta, temos nessa regiao a ponte corta o Rio Negro e fica a jusante da area de extracao de areia, mais um cuidado a se ter.

Obrigado e seja bem vindo sempre!

WORKSHOP DE DESENVOLVIMENTO PESSOAL EM MANAUS - Prof. Elias Santos Junior

Em tempos de crise como a que estamos vivenciando nos últimos anos fica extremamente evidente que é necessário se reinventar, adquirir...