Seja bem vindo

Ola, esse blog reune algumas de minhas ideias, pensamentos e devaneios, porem apresenta tambem um resumo daquilo que leio e acho interessante na área do Coaching, Motivação e estilo de vida, da Geologia, Geografia, Biologia, Petróleo & Gás e Meio Ambiente.

Gostaria de saber sua opinião sobre as postagens, portanto ficaria feliz em receber seus comentarios.
Entre e fique a vontade!!


quarta-feira, 31 de março de 2010

FÓRUM INTERNACIONAL DE SUSTENTABILIDADE DE MANAUS

Ocorreu na Cidade de Manaus nos dias 26 e 27 de março o Fórum Internacional de Sustentabilidade de Manaus, abaixo algumas noticias veiculadas após o evento:

Do Portal de Noticias TERRA original aqui

Diretor de Avatar, James Cameron, faz a dança do Boi de Parintins, em encerramento do Fórum Internacional de Sustentabilidade, e compara índios brasileiros aos Na'vi


Simone Blanes

Convidado a participar do Fórum Internacional de Sustentabilidade de Manaus, que aconteceu nos dias 26 e 27, na capital amazonense., o cineasta James Cameron, diretor de Avatar, quis conhecer a fundo a cultura e os problemas da região (imagino o quão fundo se pode ir em algumas horas na amazonia*). Depois de acompanhar o encontro e assistir a uma apresentação do Boi de Parintins, no Teatro Amazonas, no sábado 27, Cameron aproveitou o domingo 28, para percorrer de barco 100 quilômetros do rio Xingu.

No mesmo dia, embarcou num helicóptero e sobrevoou um trecho da floresta. Em sua participação no Fórum, o cineasta traçou um paralelo da situação dos índios brasileiros com os Na’Vi, que batalham pela preservação da lua Pandora em Avatar. “Em vez de fantasia, como no filme, está acontecendo de verdade. Não são os Na’Vi, mas eles (os índios) estão passando por problemas. No filme, existem os defensores dos Na’Vi.

No mundo real, vamos precisar de homens e mulheres corajosos”, disse. Cameron também implorou ao presidente Lula que reconsidere a decisão pela construção da usina hidrelétrica de Belo Monte (no Pará) e alertou que a tragédia do Haiti será pouco diante do que pode acontecer com a humanidade no futuro. Para explicar a urgência nas ações para salvar o planeta, o cineasta usou uma cena de seu filme Titanic. “Desde o momento em que o iceberg é avistado até o momento do impacto foram 90 segundos. Será que não estamos vivendo simbolicamente estes 90 segundos?”, disse.

O evento contou também com a presença de Al Gore, ex-vicepresidente dos Estados Unidos e Prêmio Nobel da Paz por seu trabalho no filme e documentário Uma Verdade Inconveniente. Em seu discurso, ele defendeu parcerias que tragam benefícios para a região. “Hoje a preservação requer debates e conhecimentos compartilhados. É preciso um acordo global não só para preservar a Amazônia mas para as outras florestas do planeta.”

*grifo do professor.
_______________________
 
Comentário:
 
Bom apesar das visitas ilustres, aqui na cidade de Manaus a repercussão deste evento foi pífia, talvez porque estejamos cansados desses profetas que vem de fora nos dizer o que devemos fazer, sem nunca mostrar por que não o fizeram nos seus países de origem, se não estou enganado o Al Gore foi vicepresidente dos EUA, não sabia que ele era ambientalista? Muitos não sabiam ate o lançamento do “Uma Verdade Inconveniente”.

Quanto ao Cameron, ele não precisa comparar os Na’Vi, com o futuro e presente dos nossos indígenas, isso na realidade acontece desde o ano 1500 no Brasil, e nas Américas desde a chegada dos “civilizados”, em outras palavras, é filme reprisado.

A pergunta que faço agora é: Como ficaremos nós amazônidas agora que nossos defensores se foram?


So me resta ouvi a toada do Boi Garantido "Lamento de Raça" de autoria de Emerson Maia, na voz de Davi Assayag.









E pra levantar o astral gosto de ouvir "Saga de um canoeiro" de Ronaldo Barbosa na voz de Arlindo Junior.



Professor Elias Santos Junior
Geologo, apaixonado pela Amazonia...
Brasil

terça-feira, 30 de março de 2010

A ARTE DE NÃO ADOECER



Dr. Dráuzio Varella

Se não quiser adoecer – “Fale de seus sentimentos”

Emoções e sentimentos que são escondidos, reprimidos, acabam em doenças como: gastrite, úlcera, dores lombares, dor na coluna. Com o tempo a repressão dos sentimentos degenera até em câncer. Então, vamos desabafar, confidenciar, partilhar nossa intimidade, nossos segredos, nossos pecados. O diálogo, a fala, a palavra, é um poderoso remédio e excelente terapia.

Se não quiser adoecer – “Tome decisão”

A pessoa indecisa permanece na dúvida, na ansiedade, na angústia. A indecisão acumula problemas, preocupações, agressões. A história humana é feita de decisões. Para decidir é preciso saber renunciar, saber perder vantagem e valores para ganhar outros. As pessoas indecisas são vítimas de doenças nervosas, gástricas e problemas de pele.

Se não quiser adoecer – “Busque soluções”

Pessoas negativas não enxergam soluções e aumentam os problemas. Preferem a lamentação, a murmuração, o pessimismo. Melhor é acender o fósforo que lamentar a escuridão. Pequena é a abelha, mas produz o que de mais doce existe. Somos o que pensamos. O pensamento negativo gera energia negativa que se transforma em doença.

Se não quiser adoecer – “Não viva de aparências”

Quem esconde a realidade finge, faz pose, quer sempre dar a impressão que está bem, quer mostrar-se perfeito, bonzinho etc. está acumulando toneladas de peso ... uma estátua de bronze, mas com pés de barro.
Nada pior para a saúde que viver de aparências e fachadas. São pessoas com muito verniz e pouca raiz. Seu destino é a farmácia, o hospital, a dor.

Se não quiser adoecer – “Aceite-se”

A rejeição de si próprio, a ausência de auto-estima, faz com que sejamos algozes de nós mesmos. Ser eu mesmo é o núcleo de uma vida saudável. Os que não se aceitam são invejosos, ciumentos, imitadores, competitivos, destruidores. Aceitar-se, aceitar ser aceito, aceitar as críticas, é sabedoria, bom senso e terapia.

Se não quiser adoecer – “Confie”

Quem não confia, não se comunica, não se abre, não se relaciona, não cria liames profundos, não sabe fazer amizades verdadeiras. Sem confiança, não há relacionamento. A desconfiança é falta de fé em si, nos outros e em Deus.


Se não quiser adoecer – “Não viva sempre triste”

O bom humor, a risada, o lazer, a alegria, recuperam a saúde e trazem vida longa. A pessoa alegre tem o dom de alegrar o ambiente em que vive. “O bom humor nos salva das mãos do doutor”. Alegria é saúde e terapia.
__________________________
Email enviando pela Professora Claudia Cardoso, obrigado querida, te desejo muita forca!

Professor Elias Santos Junior
Manaus - Amazonas - Brasil

domingo, 28 de março de 2010

Dia Mundial da Agua


AGUA - We Will Rock You (Queen)





Ola senhores, essa semana que passou tivemos a comemoração do Dia Mundial da Água.

Em alusão a esta data realizamos no dia 25 de março um evento nas dependências do Teatro Uninorte visando promover uma discussão sobre a temática, evento este que foi presidido pelo Geógrafo Prof. Mauro Bechman (Coordenador dos Cursos de Licenciatura em Geografia e Tecnologia em Petróleo e Gás).

Os presentes puderam assistir brilhante apresentação do Geógrafo Prof. Jose Roselito Carmelo que apresentou a palestra Água: Abundância ou Escassez?, na qual discutiu alem do ciclo hidrológico, a distribuição de água no planeta, as Guerras pela Água como também a pirataria e roubo de águas.

Finalizando o evento tentamos realizar uma campanha de conscientização ambiental utilizando como ferramenta o vídeo “Não desperdice água” de autoria de Weimar Oliveira preparado para ser visualizado em aparelhos celulares e mp4.

Esta atividade foi formulada por mim, Prof. Elias Santos Junior e consistia no seguinte: Após o Prof. Jose Roselito iniciar a apresentação começamos a transferir o vídeo via Bluetooth para os presentes na platéia, os quais deveriam ao longo do evento transferir para outras pessoas, funcionando como um vídeo-viral, ou seja, aqueles vídeos que são repassados de aparelho para aparelho se espalhando como um vírus de computador.

Destaca-se que os presentes foram avisados que estaríamos passando o vídeo via Bluetooth e que estes deveriam repassar aos outros, sendo então exposta a fabula que conta o incêndio em uma floresta, onde um passarinho carregando em seu bico uma gota de água contribui fazendo a sua parte no combate ao incêndio.


No meu entendimento o resultado ficou aquém do esperado pois a maioria dos presentes após receberem o vídeo o assistiam e em seguida guardavam os aparelhos o que resultou em uma pequena taxa de transferência, por conseguinte uma baixa taxa de divulgação. Cada vez mais acredito que nao adianta conscientizacao se nao houver ATITUDE.


Contudo entendo que no geral o evento foi um sucesso, ficando plantada a idéia de que precisamos mudar comportamentos e atitudes para com o uso dos recursos naturais.

Um abraço a todos,

Prof. Elias Santos Junior
Manaus – Amazonas - Brasil

quarta-feira, 24 de março de 2010

ARTIGO - Existirão vidas em outros universos?


Baseado em artigo de Anne Trafton - MIT
extraido do Portal do Meio Ambiente

Multiverso e seus universos

A pergunta "Existe vida fora da Terra?" parece estar cada vez mais próxima de ser respondida - seja algum tipo de vida orgânica em planetas extrassolares ou mesmo tipos exóticos de vida, muito além da vida que conhecemos, o fato é que a ciência já admite plenamente a possibilidade de a vida possa estar espalhada pelo Universo.

Ou, pelo menos, a ciência não tem qualquer argumento para afirmar que ela não exista.

Mas as preocupações de um grupo de físicos já estão extrapolando este que pode ser maior mistério com que a humanidade se defronta.

Para eles, não se trata mais de responder se existe vida em outras partes do nosso Universo, mas se há vidas em outros universos além do nosso.

Pense nesse multiverso hipotético como se fosse um mega-universo cheio de inúmeros universos menores, entre os quais o nosso próprio. O assunto, se parece esquisito demais, sempre chamou a atenção dos físicos teóricos.

Mais especificamente, esses pesquisadores querem saber se pode haver vida em um universo significativamente diferente do nosso, ainda que não saibamos bem o nosso lugar no nosso velho e bom Universo.

Vida em outros universos

Uma resposta definitiva à questão é de fato impossível, já que não conhecemos uma forma de estudar diretamente outros universos. Mas os cosmologistas já sentem-se à vontade para discutir teoricamente sobre a existência de uma multiplicidade de outros universos, cada um deles com suas próprias leis da física.

Robert Jaffe, Alejandro Jenkins e Itamar Kimchi, ligados à Universidade da Flórida e ao MIT, acreditam ter argumentos suficientes para demonstrar que, em teoria, outros universos, mesmo muito diferentes do nosso, podem desenvolver elementos similares ao carbono, ao hidrogênio e ao oxigênio, o que deixa aberta a possibilidade de que eles contenham formas de vida de fato muito similares à nossa.

Ainda que as massas desses elementos "extra-universais" sejam completamente diferentes, a vida pode ter encontrado seus próprios caminhos. "Você pode alterá-las significativamente sem eliminar a possibilidade de que exista química orgânica no universo," diz Jenkins.

Outras leis da física

Uma hipótese dentro da cosmologia moderna propõe que um Fluxo Escuro - que vem juntar-se à matéria escura e à energia escura - seria uma evidência de que o nosso é apenas um universo contido em um multiverso. Existem inclusive propostas para encontrar uma quarta dimensão do espaço.


Alan Guth propõe que a natureza está constantemente criando universos, cada vez com leis físicas ligeiramente diferentes, ou mesmo totalmente diferentes das que conhecemos.

Alguns desses universos, defendem os cientistas, não duram mais do que alguns instantes, colapsando sobre si mesmos e desaparecendo. Em outros, as forças entre as partículas são pequenas demais para dar origem a átomos ou moléculas.

Entretanto, em alguns desses universos, nos quais as condições sejam adequadas para que a energia inicial se expresse na forma de matéria, podem surgir átomos, moléculas, planetas e galáxias. E, onde há planetas e galáxias, há sempre a possibilidade de que os elementos adequados se juntem para formar vida, vida inteligente e civilizações.

Hipótese antrópica

O homem sempre explicou o mundo a partir de si mesmo. Por milênios, consideramo-nos o centro do Universo. Ainda hoje, mesmo alguns cientistas sentem-se desconfortáveis em falar sobre formas de vida diferentes da nossa, apoiando-se na conjectura estritamente conservadora de que elas nunca foram observadas.

Segundo os teóricos do multiverso, contudo, essa suposição de que condições ligeiramente diferentes das presentes em nosso Universo impediriam de todo a existência de qualquer tipo de vida nada mais é do que um resquício dessa mania histórica de colocar o homem no centro de tudo.

É o que eles chamam de "hipótese antrópica", que vai muito além do que se poderia imaginar, chegando mesmo a explicar as leis físicas como existindo quase que em função da existência do homem. Se as "condições corretas" não existirem - vale dizer, as condições nas quais a vida como a conhecemos consegue se manter - então não existiria vida de jeito nenhum.

Os proponentes da teoria do multiverso questionam essa postura, e propõem a existência de universos com leis físicas diferentes, mas que, ainda assim, têm totais condições de conterem suas próprias formas de vida.


Universos familiares

Cntudo, como é difícil falar em formas de vida totalmente bizarras, os pesquisadores resolveram se especializar em outros universos cujas forças nuclear e eletromagnética são parecidas com as que conhecemos, de tal forma que possam emergir átomos e moléculas.

Para restringir ainda mais o estudo, eles centraram sua atenção em vidas baseadas na familiar química do carbono que nos deu origem.

Ou seja, admitimos que possam existir universos de quaisquer tipos, com quaisquer leis físicas, resultando em conformações de matéria, energia, e eventualmente vida, inimagináveis - mas escolhemos "estudar" os universos que se parecem com o nosso o suficiente para que nos sentíssemos confortáveis se fôssemos instantaneamente transportados para lá.


Alterando os quarks

"Se você não tiver uma entidade estável com a química do hidrogênio, você não terá hidrocarbonos, ou carboidratos complexos, e você acabará não tendo vida," afirma Jaffe, eventualmente circunscrevendo-se novamente à hipótese antrópica, pelo menos para "efeitos práticos da sua teoria" - ainda que tal expressão possa parecer esdrúxula demais.



Alan Guth propõe que a natureza está constantemente criando universos, cada vez com leis físicas ligeiramente diferentes, ou mesmo totalmente diferentes das que conhecemos. [Imagem: Univ.Florida]

"O mesmo acontece com o carbono e o oxigênio. Além desses três nós sentimos que todo o resto é detalhe," acrescenta o pesquisador.


A partir daí, eles decidiram ver o que poderia acontecer com esses elementos fundamentais quando as massas de partículas elementares, chamadas quarks, são alteradas.


Em nosso Universo, existem seis tipos de quarks, que são os blocos fundamentais dos prótons, nêutrons e elétrons. Os pesquisadores centraram sua atenção nos quarks "alto", "baixo" e "estranho", que são os mais leves e os mais comuns, que se juntam para formar os prótons e os nêutrons, além dos chamados "hiperons" - veja Cientistas transformam energia em matéria.


Em nosso Universo, o quark baixo é cerca de duas vezes mais pesado do que o quark alto, resultando em nêutrons que são cerca de 0,1 vez mais pesados do que os prótons.


Os cientistas então modelaram uma família de universos nos quais o quark baixo fosse mais leve do que o quark alto, levando a prótons que seriam ligeiramente mais pesados do que os nêutrons. Neste cenário, o hidrogênio não poderia ser estável, mas seu isótopo deutério, ou trício, que é ligeiramente mais pesado, seria.


Um isótopo de carbono conhecido como carbono-14 também seria estável, assim como uma forma específica de oxigênio. Desta forma, as reações orgânicas necessárias à vida seriam possíveis.


Os cientistas se concentraram nos quarks porque já sabemos o suficiente sobre eles para predizer o que aconteceria se suas massas fossem diferentes. Entretanto, "qualquer tentativa para lidar com o problema de forma mais ampla torna-se muito difícil," dizem eles.


Forças fundamentais

Mas seus colegas do Laboratório Nacional Lawrence Berkeley afirmam que universos com possibilidade de vida semelhante à nossa poderiam emergir mesmo se não apresentarem uma das quatro forças fundamentais do nosso Universo - a força nuclear fraca, que permite as reações que transformam nêutrons em prótons e vice-versa.


Esse grupo de cientistas demonstrou que o ajuste adequado das outras três forças fundamentais poderia compensar a falta da força nuclear fraca e permitir a formação de elementos estáveis.


Constante cosmológica

Mark Wise, do Caltech, afirma que estes novos estudos avançam o conhecimento ao mexer em várias constantes ao mesmo tempo. Quando se varia apenas uma constante, fatalmente os resultados mostram um universo nada hospitaleiro, o que leva à conclusão - errônea, segundo ele - de que outros universos com vida são impossíveis.


Segundo Wise, um parâmetro físico que parece ser extremamente bem ajustado é a constante cosmológica - uma medida da pressão exercida pelo espaço vazio, que faz com que o Universo se contraia ou se expanda. Quando a constante cosmológica é positiva, o espaço se expande; quando negativa, o universo colapsa sobre si mesmo.


Em nosso universo, a constante cosmológica é positiva, mas muito pequena - qualquer valor maior faria o universo expandir-se rápido demais para que as galáxias pudessem se formar. Entretanto, Wise e seus colegas demonstraram que é teoricamente possível que mudanças na densidade cosmológica primordial poderiam compensar ao menos pequenas variações no valor da própria constante cosmológica.


Possibilidades

Infelizmente, não há formas conhecidas de saber ao certo se existem outros universos além do nosso, e, se houver, se eles podem sustentar formas de vida baseadas em carbono, como a nossa.


Mas isto não é razão suficiente para fazer os físicos pararem de explorar as possibilidades. Para conhecer outros exemplos dessas explorações, veja Nosso Universo pode ser um gigantesco holograma e A Terra não está no centro do Universo, versão século XXI.

Original em: http://www.portaldomeioambiente.org.br/artigos/divulgacao-cientifica/3633-existirao-vidas-em-outros-universos.html
____________________________
Comentario:
 
Sempre faço essa pergunta, pode imaginar as respostas....são as mais variadas, uma vez um aluno fez o seguinte:
 
Ao perguntar se alguem tinha opiniao sobre esse tema ele pulou gritando: eu eu eu, passei a palavra pra ele, o qual começou: O sr. acredita em papai noel? imediatamente a turma fez ahhhhhhhhhhhhh, e eu nao deixei mais ele se manifestar he he he.
 
Geralmente me chamavam de ateu, ate por que a Faculdade era evangelica, em outras palavras, algumas pessoas estudam Biologia porem negam o conhecimento cientifico, que estranho...Entao quando eu apresentava a Teoria da Panspermia era um assombro, uma heresia.
 
Bom, eu me pergunto por que apenas nesse pequeno pedaço de rocha alguma força superior (que eu chamo de Deus) semeou a vida, o que fizemos nós para merecermos tal presente? Se os elementos essenciais para a vida estao por todo o universo por que somente aqui, no terceiro planeta do sistema solar houve tal milagre?
 
Nao sei a resposta....
Alguem sabe?
 
Prof. Elias Santos Junior
Manaus-Amazonas-Brasil
 

terça-feira, 23 de março de 2010

Lançada a pedra fundamental da Arena da Amazônia – Copa 2014

Fonte da imagem: portal do Governo do Amazonas


Na sexta feira (19/03) o Governo do Estado do Amazonas fez o lançamento da pedra fundamental da Arena da Amazônia, o novo estádio de futebol a ser construído para a Copa do Mundo de 2014 no Brasil.

É um passo importante com o objetivo de preparar Manaus para a Copa de 2014, com o lançamento, pelo governador do Estado, Eduardo Braga, da pedra fundamental da Arena da Amazônia, que será construída na área hoje ocupada pelo estádio Vivaldo Lima e exigirá o investimento de R$ 499.508.704,17, segundo informações do site do Governo do Amazonas

A Construtora Andrade Gutierrez, vencedora da licitação promovida pelo Governo do Amazonas, terá 36 meses para realizar os trabalhos, que deverão ser concluídos no primeiro trimestre de 2013. A primeira parte começa com a demolição do Vivaldão (O Colosso do Norte), prevista para ser realizada no início de maio.

___________________________
Comentário:

Bom primeiramente eu penso que as obras já deveriam ter começado, porem segundo o site consultado tudo esta dentro do cronograma.

Em segundo lugar clamo ao Departamento Nacional de Produção Mineral que faça a fiscalização da origem do material a ser utilizado na obra, pois para quem apresenta o slogan “A Copa Verde” temos visto varias vezes o uso de material mineral de origem ilegal, ou vão nos convencer que todas as áreas que forram terraplanadas na Cidade e “doaram” seu material (incontáveis toneladas de argila e laterita/plintita) tiveram o devido licenciamento ambiental?

Espero que esses beneméritos empresários que doam os denominados minerais sociais (areia, brita, seixo, argila) procedam o licenciamento ambiental e mineral para que possamos exigir depois a recuperação das áreas degradadas e não acabarmos herdando as crateras vistas ainda hoje no Taruma, fruto das inúmeras pedreiras exploradas ate a década de 1980.

Com a palavra o Departamento Nacional de Produção Mineral (8º Distrito), Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Desenvolvimento Sustentável, Policia Ambiental e Sociedade Civil organizada, vamos fiscalizar!!!!!

Saudações Geológicas

Prof. Elias Santos Junior
Manaus – Amazonas - Brasil

quinta-feira, 18 de março de 2010

Agora tambem no Twitter



Ola colegas, depois de algum tempo resolvi participar da rede twitter...
Isso se deve ao fato que a maioria dos que passam aqui pelo blog tambem usam a outra rede, entao resolvi conhecer.

Porem ainda estou pensando no formato que vai ser dado ao perfil, provavelmente sera um espaco complementar ao que temos aqui, um espaco mais pessoal, focado em assuntos diversos.

Bom, lembrei de um aluno, o Rui, ex-agente penitenciario e hoje Geografo, que me falou sobre o grupo de pagode da penitenciaria onde ele trabalha....o nome do grupo era: Onde vai dar isso.....pois eh, to me fazendo a mesma pergunta, onde vai dar esse perfil do Twitter? sinceramente nao sei, mas vamos la....

E ai? me segue???

@prof_elias

sexta-feira, 12 de março de 2010

Reserva legal em terras do Pará poderá ser reduzida

JOÃO DOMINGOS - Agencia Estado


BRASÍLIA - Os donos de terras do oeste do Pará, na área de influência da BR-163 (Cuiabá/Santarém) e BR-230 (Transamazônica), poderão recompor as reservas legais em até 50% do tamanho da propriedade, e não mais em 80%, conforme decreto do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da ministra interina do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, publicado ontem no Diário Oficial da União.


A autorização para que a reserva legal seja reduzida foi recomendada pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) em junho do ano passado, tendo por base a Lei estadual número 7.243 de 2009, que fez o Zoneamento Ecológico-Econômico da área de influência da BR-163. O decreto assinado pelo presidente Lula ratificou a recomendação do Conama.


A redução na área da reserva legal de 80% para 50% nas propriedades da Amazônia tem recebido críticas das entidades ligadas ao meio ambiente. Elas afirmam que é a porta de entrada para aumentar o desmatamento na Amazônia. No entanto, é previsto pelo Código Florestal. Sempre que for aprovado o zoneamento, a reserva legal pode ser reduzida, desde que ouvidos ministérios envolvidos com o tema e o Conama.


O Zoneamento Ecológico-Econômico do oeste do Pará abrange 19 municípios. A área total deles é de 33 milhões de hectares, equivalente ao tamanho do Estado de São Paulo.


A partir de agora, na região será permitida a intensificação do uso do solo nas áreas desmatadas e a recuperação das áreas degradadas em até 50% do tamanho da propriedade. A principal atividade econômica dos municípios é a agropecuária.


Estudo apresentado pelo governo do Pará para o zoneamento, com base em dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), diz que, com a recomposição de 50%, o setor produtivo passa de 4.744 km2 para 11.862 km2, incorporando 7.117 km2 (2,13% da área total). Assim, o total da área apto para sistemas de produção chega a 3,53% de toda a extensão de terras abrangidas pelo zoneamento.


O governo do Pará levou dois anos para fazer o zoneamento ecológico e econômico da BR-163, o que é algo inédito. O Acre, por exemplo, levou 14 anos para fazer o seu zoneamento e o Mato Grosso está há nove discutindo uma proposta.


A BR-163 atravessa a Amazônia Central, tida como uma das áreas mais importantes da região, tanto pelo potencial econômico, quanto pelas diversidades biológicas e riquezas naturais. Nela, estão representados os biomas Cerrado e Floresta Amazônica, e as grandes bacias hidrográficas dos rios Teles Pires, Tapajós, Xingu e Amazonas.


Os municípios abrangidos pelo zoneamento são Altamira, Anapu, Aveiro, Belterra, Brasil Novo, Itaituba, Jacareacanga, Juruti, Medicilândia, Novo Progresso, Placas, Porto de Moz, Prainha, Rurópolis, Santarém, Senador José Porfírio, Trairão, Uruará e Vitória do Xingu.

extraído daqui:
http://www.estadao.com.br/noticias/geral,reserva-legal-em-terras-do-pa-podera-ser-reduzida,523389,0.htm
________________________
Comentário:
Considero uma excelente noticia, nós da Amazônia somos obrigados à preservar 80% de nossas terras, independente se a mesma tem 1 hectare ou 1000, enquanto isso as outras regiões exploram 80%  e protegem quando muito 20%, não é justo os Amazônidas pagarem esse preço sozinhos.

quarta-feira, 10 de março de 2010

Governo federal anuncia que vai rever concessões de empresas mineradoras

A criação de um marco regulatório para a exploração das minas no Brasil pode rever cerca de 150 mil concessões. Algumas serão cassadas, caso as empresas não estejam cumprindo normas estabelecidas pela futura Agência Nacional de Mineração (ANM), cuja criação foi anunciada nesta última terça-feira em Brasília, pelo ministro das Minas e Energia, Edison Lobão.

Além da agência pública reguladora, também foram apresentados os projetos do novo Código Brasileiro de Mineração (CBM) e da criação do Conselho Nacional de Política Mineral (CNPM).

O setor de mineração no Brasil é representado por 5 mil empresas que exploram elementos como ferro, manganês e nióbio, figurando como um dos líderes mundiais nos rankings de produção e exportação.

O ministro demissionário Lobão (ele vai sair do governo para disputar as eleições em outubro) surpreendeu ao usar o verbo "estuprar" para explicar que o governo não pretende agir com abuso de poder na atividade mineradora: "Às que produzem, meus cumprimentos. Ninguém vai tomar nada de ninguém arbitrariamente. Ninguém vai estuprar ninguém".

O presidente do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), Paulo Camilo Penna, declarou que a questão não é criar um marco regulatório, e sim cumprir as leis que já existem: "Se houvesse um órgão que aplicasse a legislação existente, não precisaria estabelecer agora".

Extraído da Pagina do Sidney Rezende

 

terça-feira, 9 de março de 2010

Novo código da mineração cria agência reguladora para o setor

Enviado por Lana Cristina, ter, 09/03/2010 - 16:24
extraído de: http://www.agenciabrasil.gov.br/?q=node/1677


Brasília – O Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) vai ser extinto pelo novo marco regulatório da mineração, anunciado hoje (9) pelo ministro de Minas e Energia, Edison Lobão. No lugar da autarquia, será criada a Agência Nacional de Mineração, que terá papel regulador como as outras agências ligadas ao setor energético, petroleiro, de telecomunicações, de águas e de transportes terrestres.

Segundo o ministro, um dos objetivos com a criação da agência é recuperar áreas concedidas para mineração, mas que não tem sido exploradas, o que causa prejuízos ao patrimônio público. “Era preciso por um fim a esse descalabro. Isso acontecerá sim. Nós estamos criando, paralelamente, uma agência reguladora e nós sabemos que as agências reguladoras têm dado bons resultados”, disse Lobão.

Será criado também, no âmbito do novo código, o Conselho Nacional de Política Mineral, formado por vários ministérios e responsável por cuidar das políticas do setor – a exemplo do Conselho Nacional de Política Energética.

Os três projetos do novo código de mineração serão encaminhados ao presidente da República, que poderá fazer alterações antes de enviar os textos para o Congresso Nacional
_____________________________
Comentário:
Esperamos que a criação da agência dê mais agilidade ao DNPM e ao setor da Mineração, ao redor de Manaus são inumeras as áreas oneradas a varios anos impedindo que se desenvolvam quaisquer atividades devido a prioridade obtidas por algumas empresas internacionais que tem um unico objetivo, realizar a especulação mineral.

Prof. Elias Santos Junior
Manaus - Amazonas - Brasil


 

segunda-feira, 8 de março de 2010

Resultado do Aniversário Solidário

Kauã e Andresa organizando as doações


Ola colegas,

Tenho tentado desde que criei o blog evitar que ele vire uma pagina confessional, repleta de fatos do meu dia a dia, porem em alguns momentos cometo esse pecado.

O post de hoje tem essa característica, porem deve-se à promessa que fiz aos amigos de dar publicidade a uma campanha que abraçamos.

Dia 10 de fevereiro meu filho Kauã Henrique completou o primeiro ano de vida, comemoramos a data no dia 13 com um baile de carnaval infantil, porem, desde o inicio eu e Andresa decidimos que seria um aniversario solidário, onde ao invés de presentes os convidados trariam fraldas, leite ou qualquer outro material que pudesse ser doado a uma instituição de caridade.

Graças à Deus os amigos abraçaram a causa e foi possível arrecadar quase 100 pacotes de fraldas dos mais diversos tamanho, 30 latas de leite e mais algumas coisas. É claro que situações como essa geram aplausos como também criticas, mas longe de pensar nisso e simplesmente com o desejo que nosso filho cresça sabendo dividir o pouco que tem com os mais necessitados ficamos felizes pela realização desta ação.

No sábado dia 06 de março entregamos o material no Lar Batista Janell Doylle. Abaixo segue algumas informações sobre o Lar retiradas de: http://portalamazonia.globo.com/pscript/noticias/noticias.php?pag=old&idN=57586

Lar Batista Janell Doylle

O Lar Batista Janell Doylle, foi criado em 12 de outubro de 1996, está localizado no bairro de Mauazinho zona Sul da Cidade de Manaus. Atende atualmente cerca de 200 crianças. Muitas delas chegam ao lar com problemas de agressão, violência física,maltratadas ou abandonadas pelos pais. Algumas são enviadas pelo Juizado da Infância e Juventude ou pelos Conselhos Tutelares.

No Lar Janell Doylle três projetos são desenvolvidos buscando atender as necessidades básicas das crianças e da comunidade.

Projetos

Abrigo Carinho de Mãe – Atende cerca de 50 crianças enviadas pelo Conselho Tutelar e pelo Juizado da Infância e Juventude. São crianças vitimizadas e com problemas familiares.

Creche Sonho de Criança – A creche funciona desde 2001 e foi criada para atender as crianças que moram no abrigo e as da comunidade do Mauazinho. Atende cerca de 100 crianças de 2 a 5 anos.

Nutrir para Viver – O programa tem o objetivo de dar assistência às famílias carentes. São cadastradas crianças com baixo peso e problemas de nutrição. As famílias recebem cesta básica e acompanhamento social.

Seja um colaborador

Por ser uma instituição sem fins lucrativos o Lar Batista Janell Doylle necessita da doação de diversos produtos.

Para conhecer mais sobre o trabalho da instituição acesse o site http://www.larbatistamanaus.com.br/

Para ajudar com qualquer doação entre em contato pelo telefone se preferir entre em contato pelo e-mail. Doações em dinheiro podem ser depositadas na conta bancaria.

Telefones: (92) 3615-9869 ou 3615-8302

E-mail: larbatistamanaus@gmail.com

Conta Bancaria: Bradesco – Agência 1999 – C/C 025467-3

Por: Natalia Lucas

____________

Bom, foi maravilhoso ver o brilho nos olhos das crianças, esperamos poder contribuir mais e mais com essa Instituição e se puderem ajudar, ajudem, ser solidário é fundamental para melhoria dessas pessoas....

Obrigado a todos,
Professor Elias Santos Junior
Manaus - Amazonas - Brasil




Pedagoga Glauciane recebendo as doações da Andresa e Kauã

Predio principal onde fica o refeitorio e alojamentos

Berçário

quinta-feira, 4 de março de 2010

Sorte geológica e preparo explicam por que tremor do Chile matou menos que tragédia do Haiti

Uma sorte geológica e o preparo do Chile para abalos sísmicos explicam por que um terremoto de 8,8 graus (muito superior aos 7,0 graus do tremor que atingiu o Haiti em 12 de janeiro) causou um número menor de vítimas em relação ao fenômeno que devastou o país caribenho.

Até o momento, o terremoto do Chile deixou mais de 700 mortos, enquanto o tremor no Haiti matou entre 217 mil e 230 mil.

Apesar de o tremor de sábado no Chile ter liberado cerca de 50 gigatonelas de energia (o equivalente a 50 bilhões de toneladas), sua força foi dissipada à medida que atingia as cidades chilenas pelo fato de seu epicentro ter-se localizado no mar, a 35 quilômetros de profundidade. Isso reduziu o impacto, mas produziu um tsunami.

Já no caso do Haiti, o epicentro do terremoto foi a apenas 10 quilômetros da superfície e a apenas 25 quilômetros da superpovoada Porto Príncipe, a capital do país. A proximidade da superfície multiplicou a violência das vibrações e amplificou os danos no solo, em uma região onde vivem 3 milhões de pessoas.



Além disso, enquanto oito cidades haitianas sofreram abalos "violentos" a "extremos", as áreas urbanas do Chile não sofreram mais do que abalos "severos". O tremor do Chile teve seu epicentro a 115 quilômetros da cidade de Concepción e a 325 quilômetros de Santiago.

"Mas a diferença não se deve apenas ao epicentro do tremor, já que o Chile está muito melhor preparado que o Haiti para enfrentar qualquer abalo dessa intensidade", disse à AFP Roger Bilham, professor de geologia da Universidade do Colorado.

O Chile se encontra em uma das zonas de maior atividade sísmica do mundo, na convergência de duas grandes placas tectônicas, o que provoca abalos de 8 graus a cada dez anos, aproximadamente, mas o Haiti não sofria um terremoto tão catastrófico na região de Porto Príncipe há 240 anos.

Precisamente no Chile ocorreu em 22 de maio de 1960 o maior terremoto já registrado, o abalo de Valdivia, de 9,5 graus, que deixou 2 mil mortos.

Segundo a empresa americana EQECAT, especializada na avaliação de riscos, as normas chilenas de construção "atenuaram o potencial de destruição" do terremoto.

A organização Architecture for Humanity estimou que os efeitos do terremoto no Chile "foram muito menores que no Haiti (...) sem dúvida por causa do estado de preparação do país, incluindo as normas de construção".

"Se um prédio cai durante um terremoto é porque foi fortemente sacudido ou porque foi mal construído", resumiu o professor Roger Bilham. "No Haiti, os prédios eram muito frágeis. Quem os construiu, há 20 ou 30 anos, fez túmulos para seus ocupantes."

Em Porto Príncipe, apenas dois prédios foram construídos para enfrentar terremotos, e ambos resistiram ao abalo de 12 de janeiro.

*Com informações da AFP e Guardian

Disponivel em:


quarta-feira, 3 de março de 2010

Senador João Pedro elogia audiência sobre marco regulatório para mineração

A Assembleia Legislativa do Amazonas realizou, na semana passada, uma audiência pública para debater o novo marco regulatório a ser proposto para a área de mineração. Foi o que informou, nesta terça-feira (2), o senador João Pedro (PT-AM). Ele elogiou a iniciativa, informando que a reunião foi solicitada pelo deputado estadual Sinésio Campos (PT).

Ao comentar a importância da mineração para o seu estado, João Pedro afirmou que a exploração da silvinita "é um desafio para o Amazonas" - onde, segundo ele, há uma grande reserva desse minério. Ele lembrou que, da silvinita, extrai-se o potássio.

- Não há agricultura sem potássio, e o Brasil importa 90% do potássio [que consome] - observou o senador.

João Pedro destacou ainda o lançamento do livro A Sustentabilidade de Sistemas Complexos - Conceitos básicos para uma ciência do desenvolvimento sustentável e aspectos teóricos e práticos, de Norbert Fenzi e José Alberto da Costa Machado. A obra, disse ele, é "uma contribuição importante para a Amazônia e demonstra o empenho da Universidade Federal do Pará".

Da Redação / Agência Senado
(Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

_________________________
Comentário:
Gostaria de ver a produção da Silvinita ainda nessa decada, são reuniões e mais reuniões e não vemos nada de concreto...
Sem mineração nao há civilização!
O que está faltando para viabilizar a explotação de silvinita na Amazônia?????

Com a palavra o Dep. Sinesio, o Senador João Pedro e o colega Daniel Nava, Secretário Estadual de Geodiversidade.

segunda-feira, 1 de março de 2010

Inglês Tecnico para área de Petróleo e Gas

Hoje é senso comum que falar inglês é fundamental na área de petroleo e gás, por conta disso resolvi colocar o link da promoção lançada pelo blog Tecnopeg em parceria com a Optimum.


Professor Elias Santos Junior
Manaus - Amazonas - Brasil

Minha saída da Escola Superior Batista do Amazonas

Ola colegas o post de hoje visa esclarecer os motivos da minha saída da Escola Superior Batista do Amazonas...

Bom, entrei nesta Instituição em fevereiro de 2002 e até Dezembro de 2009 lecionei as disciplinas Geologia Geral e Paleontologia para o curso de Ciências Biológicas.

Acontece que em 2009 foi instituida uma norma exigindo que o professor deveria ter no minimo duas disciplinas por período, ou teria seu contrato rompido ou supenso, pois bem, no primeiro semestre de 2010 eu teria apenas a turma de Paleontologia (5o periodo)  tendo em vista que nesse semestre o curso nao tem turma de Geologia Geral (4o).

Me foi oferecida a disciplina Ecologia, que como todos sabem é da area da Biologia e eu como Geólogo nao tenho atribuição para lecionar, o que logicamente eu recusei pois vai de encontro com tudo aquilo que eu apresento em minhas falas, sempre dizendo que nao devemos aceitar tapa buracos e sim sempre exigir o melhor.

Apesar do grande esforço da Coordenadora do curso Professora Ginajaradaça não foi possivel contornar a situação, tendo a Esbam sugerido a suspensão do meu contrato até o segundo semestre quando entao teriamos Geologia e Avaliação de Impactos Ambientais e eu seria reenquadrado, porem de comum acordo decidimos pela rescisão do contrato.

Foram 8 anos de trabalho árduo, utilizando uma infraestrutura precária, usando meus proprios livros, indo a campo muitas vezes por minha conta e risco nos finais de semana, porem o mais importante é que o trabalho foi feito e saio com a certeza do dever cumprido, agora é encarar novos desafios....são eles que me estimulam, tenho alguns objetivos imediatos tais como: me dedicar mais ao Doutorado, terminar a Especialização em Lavra e Tecnologia Mineral,  estudar Ingles (opaaaaaaa ja ate matriculei!!!!!).

Obrigado à todos que fizeram parte dessa trajetória, agradecimentos especiais aos Professores Ellen Bethlen, Anderson Lamêgo, Moacir, e Ginajaradaça por seu apoio enquanto Coordenadores, a inumeros professores que conheci nesse intervalo de tempo (em especial agradeço aos Prof. Antonio Carlos, Emerson, Tana, Andrea, Maeda, Chicon, Maricleide, Vitoria, Christian e sua esposa, Marcelo Garcia, Maristela e tantos outros que a memória me impede de citar mas que foram tão importantes quanto todos os outros).

Agradeço tambem aos funcionários do setor administrativo em especial à Dona Conceição, Fatima, Andreza, Luana, Nei e Bruna, aos rapazes do apoio ao professor que tantas vezes montaram os equipamentos que possibilitavam ministrar minhas aulas e finalmente aos diversos academicos que tive o prazer de trabalhar, com os quais pude aprender muito, principalmente sobre as relações humanas, desejo à todos muito sucesso...

Bom, aos teóricos da conspiração espero ter esclarecido suas duvidas...agora vamos a luta!

Professor Elias Santos Junior
Manaus - Amazonas - Brasil