terça-feira, 23 de junho de 2009

Cheia histórica...

Cidade de Anamã, interior do estado do Amazonas
Cidade de Anamã, interior do estado do Amazonas, da para jogar polo aquatico na quadra de futsal.

Hoje, dia 23 de junho de 2009, estamos perto de bater um recorde histórico.
A maior cheia dos ultimo 100 anos pode ser igualada amanha, faltando apenas 2cm para isso, ressaltando-se que nos últimos dias o Rio Negro, que banha a cidade de Manaus tem subido em media esses dois centímetros. No ano de 1953 a cheia do rio chegou a 29,69 metros.
Esse evento faz gera imagens novas no cotidiano da capital do Amazonas, porem, repetidas todos os anos nas cidades do interior.
Abaixo, texto do Jornal A Critica.

Segunda Maior Cheia

Jorge Eduardo Dantas
Da equipe de A CRÍTICA www.acritica.com.br 23/06/2009

Os níveis do rio Negro devem se estabilizar entre quarta e quinta-feira e o processo da vazante vai começar logo depois. A expectativa é do Serviço Geológico do Brasil (CPRM). A cheia vivida hoje pelos manauaras é a segunda maior dos últimos cem anos. Com o rio Negro marcando 29,65 metros nesta segunda-feira, estamos a apenas quatro centímetros da situação de cheia vivenciada em 1953, quando os níveis do rio chegaram a 29,69 metros, a maior desta série histórica.

Apesar da previsão dos técnicos da CPRM, o nível dos rios na região deve continuar alto por pelo menos um mês, pois o processo de redução dos níveis das águas será lento e gradual. Ainda segundo o CPRM, o rio Negro deve baixar para menos da cota de emergência (estabelecida em 29 metros) apenas no meio de julho.

De acordo com o superintendente do CPRM, Marco Antônio Oliveira, a situação de hoje se verifica, principalmente, pela ocorrência de chuvas esparsas na orla do rio Negro e pelo “represamento” que o rio Solimões exerce sobre o Negro, sem deixar que este último “escoe” normalmente. “Sem ter como circular, as águas do Negro continuam em Manaus, causando prejuízos diversos para a população”, disse o especialista.

Marco afirmou, ainda, que nas regiões mais altas do Solimões já foi verificada uma situação de descida do nível das águas. “Em Tabatinga e Fonte Boa, por exemplo, o Solimões já desceu. Mas isso não ocorreu nas regiões mais próximas”, explicou. Ele declarou que hoje as atenções estão todas sobre a região de Coari, a 370 quilômetros de Manaus, onde os níveis do Solimões já se estabilizaram. “A partir daí a tendência é que ele comece a descer. Aí esta situação também vai ocorrer em Manacapuru e, em seguida, chega até Manaus”, falou Marco.

O superintendente falou, também, que apesar do início do fim das cheias, não se pode esperar que o nível das águas desça rapidamente. “Ainda vamos conviver com muita água por todo o mês de julho. As águas primeiro se estabilizam para, em seguida, começar a descer. A situação da capital só será normalizada no início de agosto”, declarou.

_________

Nos proximos dias divulgarei novas fotos da cheia dos rios da amazonia.




2 comentários:

geocrusoe disse...

Não sei se essas cheias têm algum proveito como as do ribatejo onde as inundações servem para fertilizar o solo agrícola e as povoações já estão preparadas para o fenómeno ciclico, o mesmo acontecia no nilo. claro que quando excedem determinados nível (como deve ser o caso) os prejuizos são maiores que os benefícios. Mas as fotos são elucidativas.

Baillarinologa disse...

Essas pessoas parecem felizes com a situação em que se encontram.

Realmente chegamos a maior cheia!

onde irá parar!!!

O que me preoculpa não é a cheia e sim a Seca depois!
=)

WORKSHOP DE DESENVOLVIMENTO PESSOAL EM MANAUS - Prof. Elias Santos Junior

Em tempos de crise como a que estamos vivenciando nos últimos anos fica extremamente evidente que é necessário se reinventar, adquirir...